Desde a última segunda-feira (05), pais e responsáveis por crianças, adolescentes e jovens com transtornos mentais poderão contar com o serviço de pronto-socorro e internação em saúde mental que funcionará no Hospital Estadual Infantil e Maternidade Dr. Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha. O espaço onde estão sendo realizados os atendimentos foi entregue no dia 02 de março pelo Governo do Estado e contará com dez leitos, estrutura que possibilitará ofertar pelo menos 840 internações por ano.

 O governador Paulo Hartung prestigiou a entrega do espaço, fato que ficará marcado na história da assistência em saúde mental no Espírito Santo. Hartung lembrou que quando ele tomou posse como governador do Estado pela primeira vez, em 2003, ele foi visitar o Himaba e, na época, o hospital tinha apenas 13 leitos. A partir de então, a equipe de governo estruturou o hospital.

“Passou a existir, a partir de 2003, um trabalho bacana, e nós contamos com nossos gestores, nossos funcionários, e assim por diante. Agora nós demos outro passo importante. Eu aproveito a vinda aqui para celebrar. Nós temos uma organização social para fazer a gestão do hospital. Tem gente que bate, tem gente que critica essa atitude do Governo. Eu respeito tudo, eu sou um democrata, eu respeito a opinião de todo mundo.

Mas digo para vocês que essa crítica não se sustenta. O que nós estamos fazendo, gente, é procurar uma maneira de cuidar bem de um recurso que não é nosso. Não é do governador, não é do secretário, é do povo capixaba que paga impostos. Qualquer experiência que exista no Brasil e no mundo que seja melhor do que a nossa eu vou atrás com humildade, vou aprender com humildade. Porque dinheiro não estica, dinheiro não nasce em árvore. Nós temos que ralar para fazer o melhor”, disse o governador. 

Para a abertura da unidade, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) investiu R$ 300 mil, valor utilizado para a reforma do espaço e compra de mobiliário. Já o funcionamento do serviço vai custar em torno de R$ 150 mil por mês. O secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira explicou que esses valores não representam repasses a mais para o hospital, pois são recursos que já estavam previstos desde o início no contrato com o Instituto de Gestão e Humanização (IGH), Organização Social de Saúde que assumiu a administração do Himaba no dia 1º de outubro de 2017.

“Quando a OS assumiu a administração do hospital, já estava previsto que ela fizesse uma ampliação de serviços aqui. E nós estamos fazendo a entrega desta unidade de saúde mental com um orçamento menor do que o que estava previsto no edital. Isso é importante registrar porque é resultado da nossa política de gestão hospitalar. Ou seja, mais eficiência resulta em mais oferta de serviços”, detalhou o secretário de Estado da Saúde. 

Oliveira ressaltou, ainda, que o serviço de saúde mental infantojuvenil não existia no Espírito Santo e que a entrega desta unidade no Himaba resgata uma dívida do SUS (Sistema Único de Saúde) com a população. “O SUS no Espírito Santo não tinha leitos específicos de psiquiatria para atender crianças e adolescentes com problemas na área de saúde mental. Então, essa inauguração também é histórica, porque nós estamos resgatando uma dívida do SUS com a população que é a oferta de leitos psiquiátricos para atender crianças e adolescentes que precisam desse serviço”, comentou Oliveira. 

Ao todo, sete enfermeiros, nove técnicos de enfermagem, um terapeuta ocupacional e um psicólogo, além de médicos psiquiatras vão compor a equipe da unidade de saúde mental, que terá também uma sala onde serão realizadas atividades terapêuticas como pintura, leitura, jogos e outras atividades que auxiliam no cuidado dos pacientes com transtornos mentais. 

O diretor assistencial corporativo do IGH, o médico Gustavo Guimarães, enfatizou a satisfação da organização em participar deste momento tão importante para a saúde pública capixaba. "Para nós, do IGH, é uma honra ter a oportunidade de contribuir com a saúde dentro do Governo do Espírito Santo. Nós queremos oferecer aqui o melhor atendimento de saúde pública pediátrica e também, a partir de hoje, oferecer este serviço muito importante e pioneiro no Estado, que é o serviço de saúde mental. Nós temos um amplo espaço preparado para servir a população com atendimento 100% pelo SUS. De nossa parte não faltará esforços para contribuir com esse ideal de servir com qualidade e excelência a todos que precisarem dos serviços do Himaba", afirmou. 

A médica psiquiatra Janine Andrade Moscon, que vai coordenar o serviço de saúde mental do Himaba, reforçou o sentimento de toda a equipe do IGH. “É uma alegria participar deste processo histórico. Tem carinho em cada detalhe nesta unidade. Porque a criança não é um adulto, e precisamos fazer a diferença na infância. Temos a esperança de um futuro melhor”, disse. 

Política de Saúde Mental 

A Política Nacional de Saúde Mental, amparada na Lei 10.216/2001, inverte o modelo de tratamento das pessoas com transtornos mentais. Antes, esses pacientes eram trancados em instituições localizadas longe dos centros urbanos e ficavam distante da família e da comunidade, o que ocasionou muitas histórias de abandono e perda dos vínculos familiares. 

A unidade de saúde mental do Himaba nasce dentro dos padrões da Política Nacional de Saúde Mental, que preconiza que os pacientes com transtornos mentais que precisam de internação sejam atendidos em leitos instalados dentro de hospitais gerais, ou seja, de hospitais onde a saúde mental é mais um serviço, não o único.

Ainda em atendimento à Política Nacional de Saúde Mental, os leitos da unidade de saúde mental do Himaba serão destinados à internação de curta permanência, enquanto durar o quadro de crise aguda do paciente, assim como acontece em qualquer outra situação de internação em razão de problemas de saúde. 

Os leitos de saúde mental do Himaba serão destinados a crianças desde a mais tenra idade, além de adolescentes e jovens que tenham até 17 anos, 11 meses e 29 dias. Com isso, os pacientes com idade entre 14 e menores de 18 anos que tinham como referência o serviço de pronto-socorro do Hospital Estadual de Atenção Clínica, em Cariacica, passarão a ser atendidos preferencialmente no Himaba.