Unidades do IGH promovem capacitações sobre o coronavírus

Com o aparecimento dos casos de doença respiratória causada pelo coronavírus na China e aparecimento de casos suspeitos no Brasil, o estado de Goiás, preparou um plano de contingência de enfrentamento ao Coronavírus – Covid-19, mesmo sem registros de casos confirmados no Brasil. Diante disso, os hospitais geridos pelo Instituto de Gestão e Humanização em Goiás – Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), Hospital Estadual de Urgências de Aparecida de Goiânia Cairo Louzada (Huapa) e Hospital e Maternidade Nossa Senhora de Lourdes (HEMNSL) -, promoveram entre os dias 11 e 13 de fevereiro, capacitação sobre a doença para seus profissionais.  
No HMI, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e técnicos administrativos puderam sanar suas dúvidas sobre o coronavírus, ao longo dos três dias. O treinamento, foi realizado pela a infectologista Cláudia Borges, da Comissão de Controle de Infecção Hospital (CCIH), com participação da coordenadora do Núcleo de Vigilância Epidemiológico Hospital (NVEH), Wanda Carvalho. As profissionais falaram sobre o coronavírus, de onde vem e o potencial epidêmico do mesmo, além de mostrar dados estatísticos da doença na China. Foram abordados também aspectos como notificação de casos, manejo clínico, vigilâncias epidemiológica e laboratorial, além de coletas e análises diferenciais. 
De acordo a presidente da CCIH, Keilla Oliveira, “é necessário que os nossos profissionais estejam preparados em eventual circulação do vírus no Brasil, mesmo sabendo que o Ministério da Saúde (MS), divulgou que não há confirmação da doença no país”, pontuou. Nos dias 11 e 12 de fevereiro, o Huapa e HEMNSL também ministraram treinamento sobre o atendimento a pacientes com suspeita de coronavírus, seguindo a orientação da Secretaria de Estado da Saúde do Estado de Goiás (SES-GO). 
No Huapa, a coordenadora do NVEH, Cristina Passos, apresentou um pouco mais sobre a doença, o além do panorama nacional e estadual. “Hoje, o Brasil está em nível 2 de alerta para o coronavírus. O Huapa está preparado caso aconteça, pois traçamos estratégias para não haver disseminação”, enfatizou. A profissional ainda mostrou o fluxo que a unidade deve seguir ao receber um paciente com a suspeita. “Temos uma enfermaria específica para o isolamento desse paciente, onde vamos seguir todos os protocolos pré-estabelecidos pelo MS e Agência Nacional de Vigilância Sanitária”, completou.
Já no HEMNSL, a CCIH e a Farmácia mostraram também, aos seus colaboradores, o fluxo que terá de ser seguido, caso alguma paciente apresente os sintomas característicos do coronavírus. “Vale reforçar que todos os envolvidos precisam fazer o uso dos equipamentos de proteção individual nesse momento, tanto no contato com a paciente, quanto ela própria. Os kits individuais já estão montados e separados para serem utilizados”, reforçaram as coordenadoras Juliane Ferreira e Marcela Meirelles.