HMC faz sensibilização para o controle de infecções hospitalares

Buscando fortalecer uma prática simples mais importante para o controle de infecções hospitalares – a lavagem das mãos, o Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho realizou nos dias 28 e 29 de outubro o Dia D – todos contra a infecção. Na data, a unidade recebeu um importante aliado para a ação: o Robô Humanoide Ozires. 

Trata-se de um androide desenvolvido por meio de um projeto de pesquisa de alunos de uma faculdade mineira que vem sendo usado estrategicamente para a conscientização de boas práticas na saúde.

Durante a visita, Ozires interagiu com as pessoas, dançou tango e hip hop, tocou músicas como a Marcha Imperial (tema da série Star Wars) e fez projeções de vídeos com o objetivo de incentivar a adesão dos trabalhadores de saúde à correta lavagem das mãos. 

O robô percorreu os corredores da unidade acompanhado da diretora regional do IGH, Eliana Ferreira e da enfermeira do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do HMC, Simone Tolentino. Também estava presente o professor de bioinformática e pesquisador Bráulio Couto, um dos orientadores do projeto de pesquisa que deu origem ao Ozires e demais colaboradores do HMC.

Além de profissionais de saúde, Ozires sensibilizou pacientes e acompanhantes. Alguns sorriram, outros se encantaram. Houve quem ficasse desconfiado, mas todos se surpreenderam com a inusitada visita. Muitos aproveitaram para fazer vídeos e tirar fotos. 

“O DIA D foi uma ação conjunta da assistência com o objetivo de ressaltar a importância da higienização das mãos no ambiente hospitalar que também faz parte das metas da Segurança do Paciente e aumentar a adesão a esta prática a todo o momento, tanto pelos profissionais, como pelos pacientes e acompanhantes,” explicou Simone Tolentino.

Cartilhas informativas e adesivos foram distribuídos aos participantes. Nos CTIs foi realizado um “campeonato de lavagem de mãos” por plantão. Os profissionais foram observados durante as atividades de rotina e, ao longo do dia, verificado a quantidade de lavagens de mãos realizadas. “Este é um setor muito importante para o controle de infecções e suas transmissões, uma vez que encaminha os pacientes, muitas vezes com o quadro clínico delicado, para as demais clínicas do Hospital,” comentou a coordenadora do CTI, Priscila Fazzio.