Noticia

HMI encerra programação do Setembro Amarelo com roda de conversa

O evento foi destinado  os colaboradores da unidade, no intuito de esclarecer e debater questões pertinentes à prevenção ao suicídio

Na última sexta-feira (24/09), o Hospital Estadual Materno Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), por meio da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) e Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho (Sesmet), realizou duas rodas de conversa voltada os colaboradores da unidade, com o intuito de esclarecer e debater questões relacionadas a prevenção do suicídio. 

O evento aconteceu em dois momentos: de manhã, contou com a participação do psicólogo Danilo Vaz e na parte da tarde, com a psicóloga Maria Bonfim. Os palestrantes falaram sobre o cuidado com a saúde mental; os transtornos mentais como esquizofrenia, bipolaridade, depressão e stress, e ainda falou sobre os sinais que podem levar a pessoa a tirar a própria vida. O momento também serviu para abordar a importância da empatia e dar dicas de como ajudar e buscar apoio psicológico. 

Para a psicóloga Maria Bonfim, é preciso conscientizar a todos quanto à prevenção do suicídio, desfazer os mitos e tabus em relação ao problema e reforçar a orientação de como identificar atitudes suicidas. . “É importante estarmos atentos ao próximo e aprender a ouvir para ajudar a salvar vidas”, pontuou. Já para o psicólogo Danilo de Oliveira, falar sobre o cuidado com a mente é essencial e “A melhor forma de prevenção é a empatia e gratidão”, disse. 

 Os participantes da roda de conversa receberam chocolates com recadinhos de incentivo como forma de carinho. O colaborador Diego Flores um dos participantes disse que se sentiu valorizado e foram discutidos assuntos que o fizeram refletir. “Essas abordagens são importantes para nós que trabalhamos na saúde. É preciso cuidar do cuidador para que ele possa continuar a cuidar e salvar vidas”, afirmou a servidora Maryane Rocha.

O presidente da Cipa, Júnior César Guimarães, também ressaltou a importância de chamar atenção dos colaboradores para a saúde mental. “Nós, cipeiros, que buscamos harmonizar o trabalho e a prevenção da vida e saúde dos trabalhadores sabemos o quanto as emoções importam. Nada melhor do que uma roda de conversa para discutir e conscientizar sobre a sanidade mental”, avaliou Júnior.

Ainda como parte da programação do Setembro Amarelo, cartazes foram colocados nos corredores do hospital  com frases de otimismo, apoio e valorização da vida.

Deixe uma resposta