Noticia

HMI desenvolve ações do Setembro Verde

­ Palestra, distribuição de informativo, cartões e brindes foram usados para chamar atenção para a importância da doação de órgãos_

De acordo com o Ministério da Saúde, atualmente, no Brasil, 53.218 pessoas estão na fila de espera aguardando um transplante. No intuito de incentivar a doação de órgãos, o Hospital Estadual Materno Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), por meio da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT), desenvolveu algumas ações, nos dias 27 e 28 de setembro, com apoio dos setores de Psicologia e Serviço Social.

Na segunda-feira (27/09) – Dia Nacional da Doação de Órgãos -, integrantes da Comissão, psicólogos e assistentes sociais colocaram  nos carros de colaboradores e pacientes,  um cartão com frase curta de estímulo à doação de órgãos, acompanhado de um balão verde. Frases como “Seja o herói da vida de alguém”, “Você tem o poder de transformar uma vida”, “Cada doador de órgãos pode salvar até 10 vidas”, dentre outras.

Nesta terça-feira (28/09 ), membros da CIHDOTT percorreram os setores do HMI, orientando cada colaborador e entregando  bombons junto com um cartão contendo frases de incentivo para a pessoa se tornar doadora de órgãos. O setor de Nutrição entrou no clima, por meio da cor símbolo da campanha e serviu gelatina de limão, durante o almoço. Também foi realizada a palestra “Mitos e verdades sobre processo de doação”, com os enfermeiros da Gerência de Transplantes de Goiás, Karla Gomes e Glauber Assunção.

Durante a palestra realizada no hall do 1º andar, colaboradores, pacientes e acompanhantes foram convidados a declarar seu amor ao próximo, dizendo sim à doação de órgãos. Entre os temas abordados, os participantes puderam saber mais sobre o transplante; morte encefálica; tipos de doador; quais órgãos podem ser doados após morte encefálica e como se tornar um doador. Os palestrantes deixaram claro que é preciso conversar sobre o assunto com a família. ”Para ser um doador de órgãos é fundamental informar os familiares”, afirmou Karla. A acompanhante Rosana Cardoso, de Itaberaí, gostou de participar. “Enquanto aguardava pude ouvir as explicações sobre doação de órgãos. Foi bom tirar algumas dúvidas”, disse. “Achei ótimo participar. Tema bom de ouvir e esclarecedor”, destacou o colaborador Renato Souza.

A médica Luciene Bemfica agradeceu a participação dos palestrantes e do público presente e destacou a importância do assunto. “Debater sobre a doação de órgãos é fundamental. Tenho certeza que nossos colaboradores se tornarão multiplicadores da ideia de doar, e salvar vidas”, acrescentou.

Para a enfermeira Aparecida Marinho, coordenadora da CIHDOTT do HMI, a informação é essencial para aumentar o número de doadores. “Qualquer pessoa pode precisar de um transplante e o esclarecimento da população é fundamental, tanto para se conscientizar da importância da doação, bem como avisar a família desse desejo”, afirmou a coordenadora.

Texto: Marilane Correntino – Assessora de comunicação HMI

Foto: Marilane Correntino – Assessora de comunicação HMI

Deixe uma resposta