Hoje faz um mês do Dia Nacional da Saúde

O Dia Nacional de Saúde. Pauta intensamente presente nos jornais e no cotidiano do país este ano, consequência da pandemia da Covid-19.O número crescente de infecções respiratórias ocasionada por esta família de vírus na população provocou implementação de medidas sanitárias urgentes, como o uso de máscara por toda população, visando à diminuição da propagação da doença e o trabalho árduo dos gestores e profissionais de saúde, nos últimos cinco meses.

A infecção por coronavírus provoca sintomas semelhantes a um resfriado, mas em algumas pessoas a doença pode evoluir para uma crise aguda respiratória necessitando o atendimento hospitalar.Em busca de uma assistência eficiente para a situação, a prefeitura de Contagem e o Instituto de Gestão e Humanização (IGH), que compartilham a administração da rede de urgência e emergência no município, ampliaram leitos de enfermarias e UTI (unidades de terapia intensiva) e instituíram diretrizes de segurança à saúde de pacientes e colaboradores.“Diante do cenário que a doença no mundo e no Brasil foi se mostrando foi preciso colocar em prática, ações ágeis e eficientes para garantir assistência a saúde”, anunciou a diretora regional MG, Ana Kécia Xavier. “O Dia Nacional da Saúde nos mostra como este bem é valioso e devemos ter todo o zelo por ele, pois, cada vida perdida foi e será uma dor incalculável para família,” completou a diretora.

Em Contagem, as medidas preventivas e assistenciais iniciaram no dia 13 de março pela gestão municipal. Mesmo sem notificação de casos até a data, na semana seguinte, 14 leitos exclusivos para pacientes suspeitos de Covid-19 foram abertos no Hospital Municipal de Contagem (HMC) José Lucas Filho, na ala Clínica Médica que estava em reforma. Atualmente, o HMC conta com 30 leitos de enfermaria, 20 de UTI e, recentemente, no final de julho, o Pronto Socorro da unidade passou a contar com uma portaria exclusiva para atendimento de casos respiratórios, três leitos de UTI e seis de semi-intensivos para avaliação de pacientes encaminhados pelo SAMU.

Enquanto, o Hospital Municipal foi destinado para o atendimento de casos graves, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Sede dedicou-se a internação de pacientes suspeitos e confirmados da doença, encaminhados pelas demais UPAs, somando 20 leitos de enfermaria.

A assistência exclusiva de pacientes isolados teve início em 24 de março.Como reforço de toda a rede de urgência e emergência municipal, o Hospital de Campanha de Contagem (HCC), que funciona na estrutura do Hospital Santa Helena, foi instituído em abril e recebeu o primeiro paciente em junho. O local, com capacidade para 107 leitos de enfermaria e UTI, possui atualmente 47 pacientes internados. “Todo o trabalho no Complexo Hospitalar de Contagem, no HCC e nas UPAs foi possível por meio de uma gestão conjunta e participativa permitida por meio da implementação do Comitê de Contingência que é composto pelos coordenadores das áreas macros das unidades”, esclareceu o diretor geral do CHC, Flávio Santos. “A dedicação de cada profissional também foi imprescindível para que a população não ficasse desamparada” destacou o diretor.O Comitê, ainda vigente, acompanha diariamente o andamento da assistência à saúde visando identificar possíveis impactos e, também, planejar estratégias para continuidade do atendimento à população diante de qualquer adversidade.Acompanhando tais mudanças estruturais, toda a rede de saúde tiveram readequações quanto à assistência dos pacientes, acompanhantes e visitantes.

As UPA JK e Ressaca instalaram tendas externas nas unidades e equipadas com consultórios de triagem e médicos exclusivos para atendimento de pacientes suspeitos de coronavírus ou com sintomas gripais. Nas UPAs Petrolândia e Vargem das Flores e nos Prontos Atendimentos Infantil e Obstétrico do Centro Materno Infantil (CMI) Juventina Paula de Jesus, espaços foram separados para a triagem de pacientes com sintomas gripais e nos casos em que o isolamento temporário fosse necessário.Toda a rede de urgência e emergência de Contagem esta abastecida dos suprimentos importantes na prevenção do coronavírus, como itens de higienização, álcool e equipamentos de proteção individual, assim como também contam com uma ambulância exclusiva para o transporte de pacientes que enquadrem nestes casos.É importante destacar que todas as equipes do CHC e UPA’s foram capacitadas e fazem o uso dos equipamento de proteção individual (EPI’s) obrigatórios conforme os fluxos designados do setor. Regularmente, protocolos e fluxos são atualizados seguindo as normas dos órgãos de saúde.

As orientações estão disponíveis no ambiente on-line, com cursos em EAD e também nos setores. Visita Virtual e Boletim MédicoBuscando reduzir a circulação de pessoas no estabelecimento, uma questão fortemente preconizada pela OMS, os horários e critérios para visitantes e acompanhantes nos estabelecimentos foram adaptados, conforme decretos municipais. Na rotina atual, o Boletim Médico do Hospital Municipal é dado aos familiares na recepção principal, com horários específicos, de acordo com a ala de internação do paciente.

Para os pacientes nas Alas isoladas da Covid-19, as informações são dadas por telefone ou e-mail.Nas alas isoladas de Covid-19 os pacientes internados só têm contato com os profissionais de saúde, seguindo as recomendações do Ministério da Saúde. Para amenizar a distância dos familiares, chamadas de vídeo são proporcionadas pela equipe assistencial. A Visita Virtual tem como objetivo humanizar a estadia e manter a interação afetiva entre pacientes e seus familiares.