Hospital Municipal realiza mais uma captação de múltiplos órgãos

O Hospital Municipal de Contagem (HMC), em parceria com o MG Transplantes, realiza mais uma captação de múltiplos órgãos em 2020, mesmo durante a pandemia. O doador, um jovem de 19 anos, teve seu protocolo finalizado na manhã de 04/12.. 

O esforço para a captação de órgãos em Minas Gerais se manteve estável mesmo dentro da gravidade da pandemia da Covid-19, ao contrário do que ocorreu em outros estados, que chegaram a interromper os transplantes. Esta é a segunda captação de múltiplos órgãos (rins, pulmão, córneas, fígado, pâncreas) neste ano de 2020, na unidade de saúde de Contagem. Em 2019, o HMC fez a captação de três doadores de múltiplos órgãos e 13 casos de doações de tecidos oculares.

A pandemia da Covid-19 “trouxe um déficit para a doação e essa captação aumenta a expectativa e esperança para transplantes vindouros”, afirma a Dra. Cláudia Sueli da Rocha, médica responsável técnica e coordenadora da Comissão Intra-hospitalar de Doação e Transplante de Órgãos e Tecidos (CIHDOTT), do Hospital Municipal de Contagem. 

Depois de detectado o paciente como potencial doador se abre o protocolo para a confirmação diagnóstica de morte encefálica, sendo concretizada com a avaliação de uma equipe de profissionais e diversos exames de comprovação de atividade cerebral. Então, se chama a família e se apresenta o diagnóstico final, podendo a mesma aceitar ou não a doação dos órgãos”, explica Cláudia Sueli.

“O altruísmo e a empatia são algumas das maiores qualidades do ser humano, e a doação de órgãos o maior gesto humanitário de amor ao próximo. O transplante é decisivo na vida de várias pessoas, e, através dos familiares do jovem doador, pudemos beneficiar aproximadamente seis vidas”, expressa a gerente assistencial do IGH MG, Renata Mourão. 

O entendimento do conceito de morte encefálica e o suporte emocional multidisciplinar são imprescindíveis para a decisão dos familiares que muitas vezes desconhecem a vontade do paciente em ser um doador.