Profissionais de assistência do HMI recebem capacitação para Covid-19

Com o objetivo de manter a prevenção, o controle e a contenção de riscos em função da pandemia do novo coronavírus, bem como a orientação para a realização de procedimentos seguros e bem sucedidos em caso de eventual assistência a pacientes acometidos pela Covid-19, o Hospital Estadual Materno-Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI) está promovendo a capacitação dos multiprofissionais que atuam na área de assistência. Com o tema “Higienização das mãos, Paramentação e Desparamentação EPI – COVID-19”, a ação que, começou dia 26 de março e segue pelo mês de abril, está sendo realizada de forma gradativa, nos próprios setores dos colaboradores, com um pequeno número de pessoas, cerca de cinco de cada vez, para evitar aglomeração e ter a segurança necessária. As enfermeiras Lilian Maria Fernandes – coordenadora do Núcleo Interno de Segurança do Paciente (NISP) e Keila Paraguassu – coordenadora da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) e a infectologista Cláudia Teixeira, responsáveis pela capacitação, explicam que a higienização das mãos é considerada um dos pilares no controle de infecção relacionado à assistência à saúde. A prática é a medida mais efetiva, simples, segura e de baixo custo na prevenção de qualquer infecção hospitalar. “É extremamente importante que o profissional higienize corretamente as mãos, antes e após tocar o paciente e também antes de realizar qualquer procedimento, para evitar a transmissão de microorganismos que podem causar infecções”, declararam as coordenadoras. Durante a capacitação são relembrados os cinco momentos em que a higienização das mãos deve ser realizada: ● Antes de tocar ou ter contato direto com o paciente; ● Antes de realizar procedimento limpo/asséptico; ● Imediatamente após contato com fluidos corpóreos, secreções, excreções ou objetos contaminados; ● Após tocar o paciente, para prevenir a transmissão cruzada entre diferentes sítios corporais; ● Após tocar superfícies próximas ao paciente e em qualquer outra situação onde seja indicada a higiene das mãos para evitar a transmissão do novo coronavírus para outros pacientes ou ambiente. Paramentação e desparamentação A paramentação bem como a desparamentação  devem seguir a  técnica correta de colocação e retirada dos EPIs. Os profissionais que entrarem no isolamento/ local de atendimento devem se equipar na antecâmara. Confira a sequência correta da paramentação: ● Realizar a higiene das mãos com água e sabão ou preparação alcoólica gel antisséptico 70%; ● colocar o avental ou capote; ● colocar a máscara cirúrgica ou N95 (se realizar procedimentos que gerem aerossóis); ● colocar os óculos e gorro. Dentro do isolamento: ● higienizar as mãos; ● calçar as luvas de procedimento, a mesma deve ficar por cima do punho do capote. As capacitadoras pediram atenção também na desparamentação: ● retirar as luvas e higienizar as mãos; ●  retirar o capote; ● higienizar as mão novamente. Retirar-se do isolamento. Fora do isolamento: ● higienizar as mãos; ● Retirar o gorro, os óculos e máscara; ● fazer a higienização das mãos ; ● realizar a desinfecção dos óculos e a higienização das mãos novamente. Segundo Lilian Fernandes, as abordagens contemplaram, em especial, as equipes da emergência, Pronto Socorro da Mulher (PSM) e Pronto Socorro Pediátrico (PSP);  UTIs, imagem, equipes de enfermagem, médica, fisioterapeuta e cirúrgica. Cerca de 300 profissionais do HMI já foram capacitados. De acordo com a diretora técnica da unidade, Sara Barbosa, essa capacitação é de grande importância. “Se as regras forem seguidas corretamente, é possível reduzir e até mesmo evitar a transmissão de infecções. Estamos trabalhando constantemente na promoção de  um atendimento de qualidade e segurança de pacientes e profissionais”, afirmou a diretora.