Parentes de pacientes internados com suspeita de COVID-19 em Contagem fazem visita virtual

A iniciativa é uma forma de encurtar a distância entre a família e o paciente, que não podem ter contato durante o tratamento
A partir desta quarta-feira, 22 de abril, os pacientes internados com diagnóstico de Covid-19 no Hospital Municipal de Contagem passaram a ter um importante conforto. Para minimizar o isolamento dos pacientes e seus familiares, a unidade deu início a visitas virtuais. Com um tablet, doado pelo diretor-geral da Unidade, Flávio Albuquerque, a equipe de assistência realiza videochamadas para os parentes. “Este é um momento em que o paciente tem a oportunidade de estar perto dos familiares, nem que seja por meio de uma tela, sendo todas as medidas propostas de baixo custo, organização de recursos humanos factível”, pondera Albuquerque.
A visita tem a finalidade de manter o vínculo a apoio psicológico ao paciente durante sua internação. A iniciativa, que faz parte da política de humanização já adotada pelo Igh,  e tem o objetivo de motivar os pacientes, encurtar as distâncias, fazer com que o tratamento fique o mais ameno possível, além de confortar os familiares. “Durante a pandemia não será possível manter nenhuma rotina de visita presencial aos pacientes. Porém, com a tecnologia disponível, não é necessário manter as pessoas sem nenhum contato com o ambiente externo. Existem diversas formas de conectar pacientes e familiares por aplicativos. Não há nenhuma razão para deixar pessoas completamente isoladas de contato.”, afima Ana Kecia Xavier, diretora regional MG, do Instituto de Gestão e Humanização, IGH, OSS responsável pela gestão compartilhada de unidades de saúde, em Contagem.
Protocolo de Visita Virtual
O parecer n ° 14/2017,  do Conselho Federal de Medicina sobre o uso do Whatsapp diz que: “o whatsapp e plataformas similares podem ser usados para comunicação entre médicos e seus pacientes, bem como entre médicos e médicos em caráter privativo para enviar dados ou tirar dúvidas com colegas, bem como em grupos fechados de especialistas ou do corpo clínico de uma instituição ou cátedra, com a ressalva de que todas as informações passadas tem absoluto caráter confidencial e não podem extrapolar os limites do próprio grupo, nem tampouco podem circular em grupos recreativos, mesmo que composto apenas por médicos, ressaltando a vedação explícita em substituir as consultas presenciais e aquelas para complementação diagnóstica ou evolutiva a critério do médico por quaisquer das plataformas existentes ou que venham a existir”.
Manter pacientes com seus próprios aparelhos telefônicos durante a internação pode não ser uma opção viável em muitos casos, principalmente em ambiente caótico e movimentado.
“Sugerimos o uso do aplicativo WhatsApp para viabilizar visitas a pacientes em ambiente hospitalar isolado ou intensivo, acreditamos que essa aproximação pode contribuir bastante para a evolução do tratamento”, completa Dr. André Otoni, coordenador do Pronto Socorro do Hospital de Contagem.
Para os pacientes sem capacidade verbal efetiva, a instituição utiliza chamada em viva voz, em que os familiares poderão falar ao paciente, ou envio de áudio para que seja reproduzido a beira leito para este paciente. O tempo desta operação deve seguir as mesmas orientações dos pacientes com chamadas de vídeo, não ultrapassando 5 a 10 minutos de áudio ou chamada em viva voz”, completa Dr. André Otoni.
No Hospital Municipal de Contagem, 15 pessoas estão internadas por suspeita ou confirmação de COVID-19. Os pacientes ficam isolados, conforme protocolos da Organização Mundial da Saúde e do Ministério da Saúde,  e só têm contato com as equipes de saúde. As famílias recebem boletins diários pormeio de telefones.
“Deixamos nossa mensagem de esperança, entendendo que o espírito de unidade, solidariedade e prontidão, nos levará em breve a vencer estes desafios sustentados na construção de um grande e humano aprendizado. Estamos todos cheios de esperança, buscando oferecer o melhor para ajudar ao próximo. O que nos moverá será a luz do propósito verdadeiro, sigamos firmes!Sofrer fará parte desta trajetória para todos os profissionais, mas seguimos honrando nosso compromisso. Estaremos aqui até o fim, e voltarmos a nos abraçar fisicamente.” , finaliza Ana Kecia.