Unidade de Saúde Mental do Himaba completa um ano de funcionamento

A Unidade de Saúde Mental Infantojuvenil, instalada no Hospital Estadual Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha, completa seu primeiro ano de funcionamento neste mês de março. A unidade tem sido um porto seguro para crianças, adolescentes e jovens até 17 anos, 11 meses e 29 dias, com transtornos mentais, que necessitam de atendimento psiquiátrico de urgência.

Desde que foi aberto, em 2018, o serviço recebeu 229 pacientes, que deram entrada pelo Pronto-Socorro do Himaba ou foram encaminhados por outros hospitais pela Central de Regulação de Internação, da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) para internação.

A Unidade de Saúde Mental do Himaba é referência para pacientes não só da Grande Vitória, mas de todo o Espírito Santo. O espaço conta com 10 leitos, e uma estrutura apropriada para atendimentos psiquiátricos, garantindo a segurança do paciente.

De acordo com a diretora técnica do Himaba, Patrícia Helena, o objetivo do atendimento hospitalar é estabilizar o paciente que está em surto psiquiátrico e, por meio de tratamento com medicamentos e atividades psicopedagógicas, colocá-lo novamente em condições de conviver em sociedade.

“Somos a primeira unidade de saúde mental infantojuvenil do Espírito Santo e, após um ano de atendimento, nossa maior satisfação é ver pais e acompanhantes felizes por poderem contar com esse serviço que antes não existia ou não era realizado em um lugar especializado em pediatria. Hoje temos um espaço estruturado e preparado para receber e dar o atendimento necessário para o paciente. Estamos a cada dia estruturando ainda mais nossa equipe para prestar sempre o melhor atendimento a esta especialidade”, disse.

Serviço

O Himaba oferece serviço 24 horas de pronto-socorro e internação na área psiquiátrica. Ao todo, sete enfermeiros, oito técnicos de enfermagem, um terapeuta ocupacional e um psicólogo, e três médicos psiquiatras compõem a equipe da Unidade de Saúde Mental.

O local também tem uma sala para atividades terapêuticas como pintura, leitura, musicoterapia, jogos e outras terapias que auxiliam no cuidado dos pacientes com transtornos mentais.

Política de Saúde Mental

A Política Nacional de Saúde Mental, amparada na Lei 10.216/2001, inverte o modelo de tratamento das pessoas com transtornos mentais. Antes, esses pacientes eram trancados em instituições localizadas longe dos centros urbanos e ficavam distantes das famílias e da comunidade, o que ocasionou muitas histórias de abandono e perda dos vínculos familiares.

A Unidade de Saúde Mental Infantojuvenil do Hospital Estadual Alzir Bernardino Alves (Himaba), em Vila Velha, trabalha dentro dos padrões da Política Nacional de Saúde Mental, que preconiza que os pacientes com transtornos mentais que precisam de internação sejam atendidos em leitos instalados dentro de hospitais gerais, ou seja, de hospitais onde a saúde mental é mais um serviço, não o único.

Os leitos de saúde mental são usados para internação de curta permanência, enquanto durar o quadro de crise aguda, assim como acontece em qualquer outra situação de internação em razão de outros problemas de saúde.