Noticia

HMI realiza ação interna de conscientização sobre a prematuridade

Decoração com balões,  painel de fotografias, palestra e vídeos lembraram a importância do Novembro Roxo, na unidade referência da Saúde estadual em pediatria e neonatologia

A prematuridade é a condição em que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 15 milhões de bebês chegam ao mundo todo ano, nascendo antes do tempo. No Brasil, 11,7% do total de nascimentos acontecem antes de 37 semanas de gestação. Os dados do Hospital Estadual Materno Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI), apontam que cerca de 60% dos partos realizados são prematuros. O alto índice é explicado pelo fato do hospital ser especializado nesse tipo de atendimento.

No intuito de chamar a atenção para campanha Novembro Roxo – mês em que se comemora o Dia Mundial da Prematuridade, celebrado no dia 17, a unidade desenvolveu uma programação especial, nesta quinta-feira, dia 18, no auditório da unidade, para colaboradores e  mães de prematuros que estão na UCIN Canguru

“Nossa unidade é referência em prematuridade devido a equipe de profissionais que trabalha com  dedicação e amor”, disse a  diretora geral da unidade, Laryssa Barbosa, na abertura do evento, parabenizando os colaboradores da unidade. 

A coordenadora da Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (UCIN), médica Sandra Afiune, destacou o apoio que recebe da direção do HMI e também da equipe da Secretaria da Saúde (SES-GO) para um atendimento adequado e humanizado aos prematuros. As coordenadoras de enfermagem da UCIN, Lílian Jerônimo e UTIN, Ludymilla Sousa, reforçaram a contribuição da equipe multi e destacaram que mesmo nos casos de bebês com prematuridade extrema é  possível vencer a prematuridade.

Canguru 

A psicóloga, Marcella Almeida ministrou a palestra “Escrevendo histórias de amor: reflexões sobre a prematuridade”. Ela falou sobre a gestação, o imaginário criado em torno do bebê que vai nascer, e se acontece um problema nesse processo, vêm os desencontros do que se imaginou com a realidade da prematuridade. “Esse momento exige uma transformação da família. É necessário o acalento do colo e o envelope de amor da posição canguru. Os bebês são sensíveis aos sentimentos expressos e todo carinho irá contribuir para a formação de um adulto melhor”, pontuou Marcella.

Dois vídeos foram apresentados. Um sobre o Método Canguru – voltado para o cuidado humanizado, que reúne estratégias de intervenção biopsicossocial -, e outro com alguns depoimentos de mães de bebês prematuros. Histórias de pequenos guerreiros que lutaram pela vida e hoje estão em casa.

A coordenadora da Assessoria de Redes de Atenção em Saúde da Superintendência de Atenção Integral à Saúde (Sais) da SES-GO, Paula Pereira, prestigiou o evento. “Não é à toa que o HMI é referência, podemos ver isso nas declarações das  famílias. Essas mães são exemplos de amor, fé e persistência”, salientou

A neonatologista Daniella Portal salientou a importância do Método Canguru na recuperação dos recém-nascidos com baixo peso e agradeceu a todos que ampliam e lutam pela metodologia.

A programação contou com um delicioso lanche e distribuição de brindes para os participantes.

Hospital de referência

O HMI é referência por ser especializado no atendimento a casos de média e alta complexidade para a mãe e para o bebê. Se destaca pela assistência Humanizada e pelo Banco de Leite Humano, que funciona dentro da unidade, com certificação de “Hospital Amigo da Criança”, concedida por meio da Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), idealizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pela Unicef. O Método Canguru da unidade, técnica que consiste no contato contínuo pele a pele entre mãe e bebê, garante uma recuperação mais rápida e eficiente aos prematuros, com redução do tempo de internação.

Deixe uma resposta